Vivência Kyringue

No mês de março, iniciou no CEBB Caminho do Meio, o projeto Vivência Kyringue. Ele integra as ações educativas do Instituto Caminho do Meio e oferece à comunidade encontros para crianças e adultos.

O projeto Vivência Kyringue tem o apoio da Escola Caminho do Meio e as atividades acontecem no turno da manhã, no espaço do Jardim. Nas terças e quintas, das 8h30 às 11h30.

Para os Guarani, Kyringue é aquele menino ou menina que tem só o dever de brincar e seguir os mais velhos. Inspirado nesta concepção de infância, a Vivência Kyringue oferece um espaço e tempo de BRINCAR para as crianças e de FAZER para os adultos.

Inscrita no contexto da Escola Caminho do Meio e do CEBB, a vivência tem sua condução fundamentada na abordagem das cinco sabedorias e método da Mandala, no “ensinar pelas costas” (pelo exemplo) e na visão de educação que contempla o mundo interno.

Para as crianças, um ambiente de brincar, livre e enriquecido e em contato com a natureza. Para os adultos, um ambiente de troca de saberes e habilidades, de formação de redes de apoio e convivência.

O acolhimento das crianças e dos adultos concebe o ato de aprender e o ato de ensinar como ações que se implicam mutuamente; na vivência, tanto quem ensina, como quem aprende é considerado sujeito do processo de ensino-aprendizagem. Aspiramos oferecer um ambiente onde crianças e adultos possam aprender juntos. O exemplo dos adultos alimenta o brincar das crianças, oferecendo a elas exemplos do fazer humano, ampliando seu imaginário interno. Criando possibilidades de diferentes formas de ser e estar no mundo.

Em paralelo ao brincar das crianças os adultos podem se ocupar de diferentes atividades durante os encontros:

Nas terças-feiras há uma roda de conversa e manualidades. Neste momento, a educadora Cintia Miró oferece os saberes e a experiência vivenciada durante 9 anos na condução de turmas do maternal na Escola Caminho do Meio. Também são trocados entre os participantes os saberes das artes manuais tais como costura, crochê, bordado, entre outras.

Nas quintas-feiras, as famílias da comunidade são convidadas a trocarem seus saberes e habilidades com os participantes do encontro, adultos e crianças. Estas vivências são oferecidas e organizadas pelas famílias. Desde o início do projeto foram ofertadas diferentes experiências: conserto de pneu de bicicleta, feitio de extratos de plantas do entorno, vivência de biodanza, modelagem com argila, e os próximos encontros preveem outras tantas habilidades: costura, dança, ioga, entre outras.

Maiores informações sobre o projeto: Tatiana Klein. (51.9114 9143 tatianarubimklein@gmail.com )

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *