Cavalo de Vento

Mandala de Educação do CEBB Mendjila/ CEBB Floripa

Breve histórico do grupo

Nosso movimento começou em setembro de 2016 tendo como pano de fundo o sonho de uma futura escola comunitária na Aldeia Cebb Mendjila. O foco inicial era a ideia de estudarmos juntos o conceito e o funcionamento das mandalas, aliando-se a isso a ideia de realizarmos um tipo de colônia de férias para as crianças no Cebb Mendjila. Eu estava morando no Mendjila desde fevereiro daquele ano, e havia ido para lá com o sonho de uma escola na aldeia em mente.

Trata-se de um sonho, pois bem sabemos que uma escola não surge assim do nada. No relato desse primeiro encontro podemos ler: “a ideia que a tarefa da mandala de educação está muito além da criação da escola é preciosa, pois o caminho que pode nos levar até a escola, é ele mesmo um caminho de transformação de nossas vidas. O caminho é a própria prática da escola, da construção da aldeia e fortalecimento do eixo de espiritualidade do Cebb”. Sempre procuramos manter isso em foco. Mesmo sabendo que caímos muitas e muitas vezes no erro do planejamento (12 elos) que abala nossa motivação (sem meta/ objetivo), tivemos desde o início em mente que a escola já existe, ou que pelo menos estamos alimentando o sonho e praticando-o em nível sutil – treinando a mente.

Nos encontros seguintes (dezembro de 2016, janeiro e março de 2017) alguns outros temas estiveram em pauta. Tivemos um encontro com a tutora do Cebb, Alessandra Pizzigati (residente no Mendjila) sobre o estudo das mandalas; alimentamos a ideia/ proposta de trabalharmos na formação continuada dos professores das redes municipais locais de educação (em parceria do Núcleo de Meio Ambiente e Desenvolvimento da UFSC, NMD/UFSC). Chegamos a ter um bom contato com a secretaria municipal de educação de Canelinha, mas os projetos ficaram por hora em compasso de espera. Além disso sonhamos juntos melhorias para o telhado verde do Cebb Menjdila, onde ocorre parte das atividades das tendas infantis nos retiros com o Lama Samten. Foi um bonito encontro que rendeu inclusive um esboço de projeto arquitetônico. Ousamos mesmo em pensar em esboçar o projeto pedagógico da escola com a qual sonhávamos.

Contudo, a ideia que ganhou corpo de fato foi mesmo a de realizarmos atividades periódicas mensais com as crianças da sanga e da comunidade local no Cebb Mendjila. Foi muito importante para nós a presença de outra tutora em um dos nossos encontros, nossa querida Inez Campos, que descreveu sua experiência com as sanguinhas por onde passou, sugerindo um roteiro de atividades com mais ou menos uma hora e meia de prática. Ali conseguimos visualizar melhor, e sentimos de fato que poderíamos e estávamos prontos para começar. O grupo havia amadurecido para isso. Com apoio do Lama e da Mandala Gestora do Mendjila começamos a sonhar a atividade mais objetivamente.

Em janeiro deste ano (2018) estivemos eu e Maíra em Viamão onde pudemos ter uma ótima conversa com Lama Samten a respeito dos rumos dos projetos e sonhos de nossa mandala. Um dos pontos dessa conversa com o Lama é que uma ação prática poderia mesmo engendrar movimentos e alimentar os sonhos a partir da prática. Isso nos deu a senha para consolidarmos o próximo passo. Depois de conversar com a gestão do Mendjila iniciamos uma atividade mensal para crianças (de todas as idades) em março de 2018. De lá para cá foram nove encontros lindos, de muito aprendizado coletivo e de enorme gratidão por estarmos juntos realizando esses encontros com as crianças, convivendo com elas nesses momentos, fortalecendo laços entre nós. O nome escolhido para a atividade foi inspirado em um preciso símbolo do Dharma, o Cavalo de Vento. Ele está presente em muitas bandeiras de preces e basicamente nos lembra da capacidade que temos de domar nossa energia, praticar boas ações, gerar benefícios e seguir em nosso caminho.

Ação

As atividades do Cavalo de Vento se dividem basicamente em três ou quatro modalidades. Brincadeiras na natureza (ecologia na prática), atividades que estamos chamando de consciência corporal, atividades artísticas e oficinas específicas, além das brincadeiras mais livres propostas pelas crianças. Assim, por exemplo no nosso primeiro encontro do Cavalo de Vento (março/18) como exemplo de atividades na natureza fizemos brincadeiras de busca de brinquedos escondidos na natureza, e uma caça ao tesouro (com guia de tipo de itens para serem encontrados) com montagem de mandala final com todo os materiais. E como atividades de consciência corporal tivemos Yoga para crianças, exercícios de respiração – com canudo e bolinha de isopor (tentando controlar o fluxo do ar e por consequencia a bolinha) e exercícios de respiração abdominal. No segundo encontro focamos mais em atividades artísticas, por exemplo, com a feitura de um desenho sobre algo que o amigo ao lado gostasse muito de fazer (sabedoria do espelho – o outro no mundo dele) e socialização do desenho em uma roda de conversa. Tivemos também atividade com origamis e trabalho artístico em argila (para criarmos uma representação do dia de brincadeiras na argila como um pequeno quadro/ ilustração). No quarto encontro construímos junto com as crianças uma casa na árvore e fizemos uma pequena festa junina. Foi um dia de atividades mais livres.

A partir do quinto encontro dois outros elementos importantes se juntaram a nossa programação, o primeiro deles foram as práticas de jogos cooperativos, que temos experimentado desde então, e o segundo, ainda mais importante e fundamental, foi o fato de termos começado a guiar nossas atividades pelo calendário da Escola Caminho do Meio. Trata-se de um calendário bimestral que associa as estações do ano, elementos naturais (e os lungs correspondentes) à uma das sabedorias búdicas, sugerindo além disso eixos temáticos de atividades. Na primavera por exemplo, a sabedoria da causalidade, elemento ar, sugere expansão (em nível grosseiro, sutil e secreto), em busca, por exemplo, de formas positivas de habitarmos o mundo. Boas formas de habitar o mundo geram boas relações com a biosfera e com os outros seres humanos, o que engendram felicidade neste sentido. Para exemplificar, no sétimo encontro, dentre outras várias atividades para as crianças falamos dos tijolos ecológicos fabricados no Cebb Mendjila (relação com a sabedoria da causalidade – formas de bem habitar o mundo), coletamos bambus e fizemos bastões faladores para rodas de conversa (depois fizemos uma roda de conversa para programarmos as atividades do dia). Além disso, fizemos uma caminhada pela aldeia Cebb Mendjila – incluindo a área residencial da aldeia (em relação com a sabedoria da causalidade – formas de bem habitar o mundo) e também uma brincadeira com barbante e figuras de elementos da natureza – para tecer e visualizar a teia de interdependência entre os seres – (relação com a sabedoria da causalidade – interdependência).

Nos últimos dois encontros dentre outras várias atividades, tivemos contribuições e oferecimentos preciosos de amigas da sanga com oficinas envolvendo a preparação de alimentos. Uma oficina de fabricação de pães e outra de fabricação e preparação de queijos para as crianças. Muito lindo e vibrante ver as crianças de apropriando desses conhecimentos e práticas. Vale dizer também que no último encontro foi construído também um pequeno palco de teatro para futuras apresentações das crianças.

Em dezembro realizaremos a décima edição do Cavalo de Vento, em um encontro de férias escolares que incluirá um pernoite da criançada no Mendjila. Estamos preparando uma programação bem especial para esses dias.

Grupo de Estudos no Cebb Floripa

Mais recentemente surgiu um grupo de estudos no Cebb Floripa voltado para a temática “Budismo e Educação”. O grupo está intimamente ligado às ações da mandala de educação do Mendjila. Já tivemos alguns encontros, todos super profícuos, algumas pessoas participam das atividades em Canelinha também, e aos poucos nossa intenção a fortalecer o movimento no Mendjila com essa retomada dos estudo em Floripa.

No caminho…

É muito difícil resumir aqui em poucas palavras o significado de tudo o que fizemos, e da imensa gratidão por todos os envolvidos, e foram muitos. Todos super importantes. Mesmo aqueles que participaram apenas de uma reunião, e deram uma única sugestão foram todos efetivamente muito importantes. O maior aprendizado a meu ver de tudo isso tem a ver com a prática de mandala. Para mim que assisti tudo desde o início foi tudo muito interessante até agora. Ver como o grupo flutuou no início, a cada encontro havia pessoas diferentes. E assim mesmo, como afirmei as contribuições foram todas bastante importantes. Guru Rimpoche falou por essas pessoas muitas vezes, e apontou direções para nós. Foi interessante também estabelecer a comunicação com vários grupos do Cebb que ajudaram a atividade surgir e florescer até agora. O grupo de gestão do Cebb Mendjila, as conversas com nosso querido Lama, com pessoas das escolas do Cebb (Carol Senna e Fernando Leão sobretudo). Igualmente importantes foram as conversas com a prefeitura de Canelinha, e outras pessoas ligadas a outras redes municipais de ensino da região, e muito especialmente e mais recentemente com a comunidade local da Urussanga, bairro onde esta localizado o Cebb Mendjila. É para eles sobretudo que fazemos o trabalho no momento, pois ainda temos poucas crianças da sanga diretamente ligadas ao Cebb Mendjila.

É uma imensa alegria estabelecer esse contato com a comunidade local. Nossa aspiração é que o Cavalo de Vento cresça, aconteça com mais frequência e possa surgir como um referencia de cuidado com as crianças na comunidade local. Enorme gratidão a Eliana, Lisane, Rogério, Dedé, Cacau, Viviane, Vitória, Paula, Maíra, Cris, Jussara, Alessandra, Natália, Míriam (e seus filhos), Adelir, Gabi, Tarcísio, Ana Paula, enorme gratidão ao Lama, a sanga do Mendjila, as crianças todas e a todos os demais envolvidos nas atividades do Cavalo de Vento e no grupo de estudos em Floripa. Gratidão enfim a todos que direta e indiretamente apoiam nossos movimentos.

Para assistir aos outros vídeos dos demais encontros do Cavalo de Vento clique aqui!

Sejam todos muito bem vindos!

Mais informações com Fausto: (48) 9 9907-5246.